Inovação em Saúde – Transformando a indústria da Saúde como a conhecemos

 

Inovação em Saúde – Transformando a indústria da Saúde como a conhecemos

 

Aconteceu no dia 08 de agosto de 2018 o Health Innvation Summit 2018, encontro para discutir sobre uma nova perspectiva para a indústria da saúde, incluindo modelos com ideias inovadoras e soluções úteis e sustentáveis para gerar um novo modelo de relacionamento entre clientes e pacientes, incluindo a inteligência artificial. Com a troca de experiências de novas empresas como as Startups emergentes foi discutido o que de novo está sendo implantando, com um olhar para que a saúde gire em torno da pessoa e não da doença.

 

A tecnologia é uma das principais aliadas nesta discussão, pois ela possibilita o acesso a informação. Não temos dúvidas que as empresas já possuem uma grande quantidade de dados, mas que tipo de inteligência está sendo gerada a partir dessa informação? Há convergência para gerar soluções em saúde? Os modelos aplicados estão impactando positivamente os resultados de saúde dos consumidores?

 

Além disso, com o empoderamento do consumidor, temos ou teremos indivíduos mais responsáveis por sua saúde, que participam do processo de consumo de saúde. Já temos relógios que monitoram o sono, contam passos, aplicativos que nos lembram de tomar água, que registram a quantidade de calorias ingeridas. Todas estas informações estão sendo geradas e monitoradas tanto pelas empresas quanto pelas pessoas preocupadas com sua saúde. Existem iniciativas das operadoras de saúde para começarem a se valer desta tecnologia, mas que não alcançam a escala necessária para abarcar, por exemplo, toda a sua massa vinculada. Esse deve ser o próximo passo. Esta é uma realidade que o mercado de saúde deverá se adaptar, na qual o modelo de centralização de decisão do médico passa a incluir outros atores, mudando a lógica de atendimento aplicada até então.

 

Neste contexto o mercado de saúde tem o desafio de se adaptar ao novo consumidor, com a convergência de tecnologias que busquem melhorar o processo de gestão da sua população, incluir em suas métricas componentes de predição, para oferecerem novos serviços que entreguem mais saúde para seus beneficiários, construindo o modelo ao redor da pessoa e não da doença.


Flávia Salles
Gerente de Regulação

Strategy 

Quer saber mais sobre o assunto, clique abaixo:
Inteligência Artificial e Machine Learning aplicados à saúde
A Inteligência Artificial substituirá os médicos?
Diana Nole: Inteligência Artificial e recursos de apoio à decisão clínica são superpoder para os profissionais da saúde
Inteligência Artificial na Saúde
Inteligência artificial na área de saúde: por onde começar?

 


Data do artigo: 06/09/2018