Atenção Primária na Odontologia

 

Atenção Primária na Odontologia

 

A prestação de serviços odontológicos mudou expressivamente nas últimas décadas, aumentando a qualidade dos serviços e consequentemente, a exigência dos beneficiários.

 

Não é à toa que os produtos comercializados hoje pelas operadoras odontológicas vão além do cuidado básico da saúde bucal. O que se vê são pacotes desde o rol mínimo da ANS até a cobertura completa em estética.

 

Apesar de toda a evolução odontológica presenciada nos últimos tempos, ainda há muito a se avançar. Segundo informações do site da ANS, apenas 11,06% da população brasileira possui plano odontológico, o que mostra que existe muita oportunidade para o crescimento desse segmento, porém, em contrapartida, demonstra a falta de interesse dos brasileiros em procurar um dentista periodicamente. Isso nos mostra também a necessidade de se evoluir junto à população mais carente. E é aí que entra a ideia de se priorizar a atenção primária ou básica na saúde bucal também, pois ela atua no primeiro nível de atenção assistencial voltada à promoção de saúde, prevenção, diagnósticos precoces, tratamentos assertivos, reabilitação e manutenção.

 

Nesse viés, leva-se em consideração dados como perfil demográfico, epidemiológico da população, cultura local, história, etc., com o objetivo de tornar mais adequado o atendimento aos problemas da realidade local. A atenção básica na odontologia começa com uma consulta de diagnóstico e plano preventivo-terapêutico. É de suma importância a participação da saúde suplementar no acesso ao tratamento odontológico.

 

Muito mais que falta de acesso ao serviço, um dos fatores preponderantes no nível de higiene bucal da população é a falta de conscientização, e por isso é necessário haver programas de promoção à saúde. A ideia é o paciente visar uma prevenção, e não um tratamento quando procura um dentista, e esse é o mais novo desafio do setor: educar o cliente para essa nova visão.

 

A odontologia tem trabalhado com foco no tratamento preventivo, e busca estimular a redução da “produção de volume de procedimentos e a remuneração de prestadores baseada em quantidade”, e acredito que um produto voltado a atenção primária com exclusividade em odontologia pode melhorar esses resultados.

 

A ANS vem estimulando as operadoras a criarem programas de prevenção e promoção à saúde, enfatizando a atenção primária. Existem atualmente 20 programas de Promoção à Saúde e Prevenção de Riscos e Danos em Saúde Bucal cadastrados e aprovados na ANS.

 

Abaixo listo os princípios da atenção primária em odontologia:

1 – Primeiro contato – acesso a cada problema para os quais se procura a atenção à saúde;

2 – Longitudinalidade – regularidade no atendimento entre o usuário e o profissional de saúde e de serviços ofertados;

3 – Abrangência – ações que visem o equilíbrio entre os resultados tanto individuais quanto coletivos de caráter preventivo e promocional;

4 – Coordenação – garantia de continuidade da APS, com acesso à tratamentos mais complexos.

 

Para esse tipo de atendimento, é necessário que se tenha desenhado um produto específico de APS para odontologia. Segue lista de procedimentos de APS e cobertura obrigatória pelos planos odontológicos:

 

• Atividade educativa em saúde bucal;

• Atividade educativa em odontologia para pais e/ou cuidadores de pacientes com necessidades especiais;

• Consulta odontológica inicial;

• Controle de placa bacteriana;

• Profilaxia: polimento coronário;

• Aplicação de cariostático;

• Aplicação de selante;

• Aplicação tópica de flúor;

• Aplicação tópica de verniz fluoretado;

• Dessensibilização dentária;

• Redução de luxação da ATM;

• Remineralização dentária.


Camila Antonelli
Consultora
Strategy Consultoria Atuarial e Regulatória


Data do artigo: 26/04/2018